top of page

O que são Riscos Ergonômicos e como Preveni-los? Entenda!

Atualizado: 4 de jun.

Entender o que são riscos ergonômicos e como preveni-los é essencial para a saúde e o bem-estar dos trabalhadores, além de importante para a produtividade e eficiência do trabalho.


Os riscos ergonômicos podem levar a diversos problemas de saúde, como: lesões musculoesqueléticas.


Atualmente, estima-se que cerca de 4 milhões de brasileiros sofrem de lesões por esforço repetitivo (LER) e doenças osteomusculares relacionadas ao trabalho (DORT).


Dentre os distúrbios mais comuns, a SBR (Associação Brasileira de Reumatologia) destaca os distúrbios de tendinite (particularmente do ombro, cotovelo e punho), lombalgias (dores na região lombar) e mialgias (dores musculares).


O Brasil é o país mais ansioso do Mundo e estima-se que mais de 18 milhões de brasileiros convivem com a ansiedade, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) – distúrbios do sono, problemas circulatórios, entre outros.


Gerindo os riscos ergonômicos é possível prevenir lesões, doenças e garantir um ambiente de trabalho seguro e saudável a todos.


Entenda sobre o que são riscos ergonômicos, como fazer a gestão e prevenção destes riscos a seguir!

Mulher demonstrando estar com dor na lombar enquanto está sentada no seu posto de trabalho.

O que são Riscos Ergonômicos?

Riscos ergonômicos são aqueles relacionados às condições de trabalho que podem causar danos à saúde e segurança dos trabalhadores, devido a uma inadequação entre as exigências físicas e mentais da tarefa e as capacidades e limitações humanas.


De acordo com a FIOCRUZ, são considerados riscos ergonômicos:

- Esforço físico;

- Levantamento de peso;

- Postura inadequada;

- Controle rígido de produtividade;

- Situação de estresse;

- Trabalhos em período noturno;

- Jornada de trabalho prolongada;

- Monotonia e repetitividade;

- Imposição de rotina intensa.


Esses riscos podem ser encontrados em diversos tipos de atividades profissionais, desde escritórios até ambientes industriais.


5 Exemplos de Riscos Ergonômicos Mais Comuns

A seguir, conheça detalhadamente quais são os riscos ergonômicos mais comuns e que mais afetam a saúde dos trabalhadores na atualidade.


- Postura Inadequada

A postura inadequada é aquela que não respeita as características físicas do trabalhador e não proporciona conforto e segurança durante a realização das atividades laborais.


Isso pode ocorrer em três situações:

1 - Quando a postura adotada pelo trabalhador é inadequada para a tarefa que está sendo realizada;

2 - Na ocasião em que a mobília e equipamentos não estão ajustados corretamente para a altura e proporções do trabalhador;

3 - Situações em que não há suporte adequado para a coluna vertebral e membros.


Algumas posturas inadequadas comuns incluem:

- Ficar muito tempo sentado sem pausas;

- Curvar o pescoço para frente para olhar para o computador;

- Estender os braços para alcançar objetos, torcer o corpo para alcançar algo;

- Levantar objetos pesados sem apoio adequado para a coluna vertebral.


- Repetição de Movimentos

A repetição de movimentos ocorre quando um trabalhador executa a mesma tarefa ou movimento com frequência e por um longo período.


Dessa forma, esses movimentos podem ser repetitivos e contínuos, como digitar no teclado do computador ou encaixotar produtos em uma linha de montagem.


A repetição de movimentos pode sobrecarregar os músculos, tendões e articulações do trabalhador, levando a lesões musculoesqueléticas, como tendinite, bursite, síndrome do túnel do carpo e outros problemas relacionados à tensão muscular e estresse.


A fadiga muscular também pode aumentar o risco de acidentes de trabalho.


- Esforço Físico Excessivo e Levantamento de Peso

Ocorre quando o trabalhador é exposto a cargas físicas que excedem sua capacidade física, seja por levantar, carregar ou empurrar objetos pesados, ou por realizar esforços físicos contínuos e intensos.


Esse tipo de risco ergonômico pode sobrecarregar os músculos, tendões e articulações do trabalhador, levando a lesões musculoesqueléticas como dores lombares, lesões nos ombros, hérnias de disco, entre outros problemas relacionados à tensão muscular e estresse.


- Situação de Estresse

Assim como controle rígido de produtividade, jornada de trabalho prolongada, imposição de rotina intensa – podem gerar consequências negativas para a saúde física e mental dos trabalhadores.


Desse modo, o estresse prejudica o bem-estar e pode levar a lesões musculares, problemas cardíacos e problemas de saúde mental como depressão, ansiedade, chegando até a um burnout.


No Brasil, o número de pessoas impactadas pelo burnout tem aumentado nos últimos anos.


De acordo com um estudo realizado pela International Stress Management Association (ISMA-BR), em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina, 30% dos trabalhadores brasileiros sofrem de burnout.


Além disso, foi constatado que os setores mais afetados pelo estresse são da área da saúde, educação, serviço público e financeiro.


- Vibrações

Quando um trabalhador é exposto a vibrações mecânicas, seja por meio de ferramentas manuais, veículos ou equipamentos industriais, ocorre a transmissão dessas vibrações para o corpo, podendo causar lesões musculoesqueléticas e danos aos tecidos corporais.

Mulher idosa com dor no punho por movimento repetitivo.

Entenda o Impacto dos Riscos Ergonômicos à Empresa

Os riscos ergonômicos podem ter um impacto significativo na empresa, afetando tanto os trabalhadores quanto a organização como um todo.


Alguns dos impactos mais comuns dos riscos ergonômicos são:


- Aumento do Absenteísmo e da Rotatividade

Quando os trabalhadores sofrem de lesões musculoesqueléticas ou de outros problemas de saúde relacionados à ergonomia, eles podem precisar se ausentar do trabalho para se recuperar ou procurar tratamento.


Isso pode levar a um aumento do absenteísmo e da rotatividade na empresa, o que pode afetar negativamente a produtividade e a eficiência.


- Redução da Produtividade

Os trabalhadores que sofrem de desconforto, fadiga ou estresse podem ter dificuldade em realizar suas tarefas de maneira eficiente e produtiva.


Isso pode levar a uma queda na produtividade da empresa e afetar a qualidade dos produtos ou serviços oferecidos.


- Aumento dos Custos de Saúde e Segurança

Quando os trabalhadores sofrem de lesões ou doenças ocupacionais relacionadas à ergonomia, a empresa pode precisar arcar com os custos de tratamento e reabilitação, além de pagar benefícios trabalhistas e compensações.


Isso pode resultar em um aumento dos custos de saúde e segurança para a empresa.


- Perda de Competitividade

Uma empresa que não consegue oferecer um ambiente de trabalho seguro e saudável para seus funcionários pode ter dificuldades em atrair e reter talentos qualificados, além de perder competitividade no mercado.


- Danos à Imagem da Empresa

A falta de preocupação da empresa com a saúde e segurança de seus trabalhadores pode afetar negativamente a imagem da empresa perante os clientes, fornecedores e a sociedade em geral.


Por isso, é importante que as empresas adotem medidas preventivas e corretivas para minimizar ou eliminar os riscos relacionados à ergonomia.


https://www.elevalife.com.br/ergonomia

A Avaliação dos Riscos Ergonômicos é Obrigatória?

A avaliação dos riscos ergonômicos é obrigatória para empresas, conforme estabelecido pela Norma Regulamentadora nº 17 (NR-17) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) no Brasil.


A NR-17 estabelece diretrizes e parâmetros mínimos para o conforto e segurança dos trabalhadores no desempenho de suas atividades, visando à prevenção de doenças ocupacionais e de lesões musculoesqueléticas relacionadas ao trabalho.


A avaliação dos riscos ergonômicos deve ser realizada periodicamente pela empresa, com o objetivo de identificar os riscos e condições de trabalho que possam causar desconforto, fadiga ou estresse ao trabalhador, bem como doenças ocupacionais relacionadas à ergonomia.


Com base nos resultados da avaliação, devem ser tomadas medidas preventivas e corretivas para minimizar ou eliminar os riscos identificados.


A falta de realização da avaliação dos riscos ergonômicos pode resultar em sanções e penalidades para a empresa, além de colocar em risco a saúde e segurança dos trabalhadores.


Portanto, é importante que as empresas cumpram com as obrigações estabelecidas pela NR-17 e promovam um ambiente de trabalho saudável e seguro para seus colaboradores.


Entenda como Gerir os Riscos Ergonômicos

Realização da AEP (Análise Ergonômica Preliminar) e AET (Análise Ergonômica do Trabalho), em casos específicos, para identificar possíveis riscos ergonômicos dentro da jornada de trabalho de um funcionário.


É um procedimento obrigatório para empresas, estabelecido por lei.


Com a elaboração da AEP e AET, é possível realizar:

  • Identificação dos riscos – identificar através de avaliações e entrevistas, quais os riscos ergonômicos presentes no ambiente de trabalho e em quais atividades os trabalhadores estão expostos.

  • Avaliação dos riscos – após identificar os riscos, é importante avaliar a gravidade e a probabilidade de ocorrerem, para priorizar as medidas de controle. Para isso, utiliza-se ferramentas como a matriz de avaliação de riscos.

  • Controle dos riscos – é necessário implementar medidas para controlar os riscos ergonômicos identificados. Essas medidas podem incluir modificações no ambiente de trabalho, treinamentos para os trabalhadores e mudanças nos processos de trabalho, definidas em um Plano de Ação.

  • Monitoramento dos riscos – é importante monitorar regularmente os riscos ergonômicos através de novas análises para garantir que as medidas de controle estejam sendo eficazes e, se necessário, realizar ajustes nas medidas de controle.

  • Avaliação dos resultados – para identificar pontos de melhoria e assegurar que as medidas de controle implementadas estão sendo eficazes é necessário regularmente realizar a Gestão dos Riscos Ergonômicos.


É importante destacar que a gestão dos riscos ergonômicos é realizada pelo ergonomista em conjunto com os trabalhadores e com a participação de todos os setores da empresa.


A conscientização dos trabalhadores sobre o que são riscos ergonômicos, treinamentos e as medidas de controle é fundamental para garantir a eficácia das ações implementadas.


Conclusão

Nesse artigo, você entendeu o que são riscos ergonômicos e que podem levar a diversos problemas de saúde, como lesões musculoesqueléticas, fadiga, estresse, distúrbios do sono, problemas circulatórios, entre outros.


Para prevenir esses riscos, é importante que as empresas realizem avaliações ergonômicas regulares, adaptem as condições de trabalho às necessidades dos trabalhadores e promovam treinamentos e conscientização sobre as melhores práticas para a prevenção de lesões e doenças relacionadas ao trabalho.


Ressaltamos a importância de empresas adotarem medidas preventivas para reduzir os riscos.


Portanto, investir em prevenção através de programas de bem-estar, treinamento adequado dos trabalhadores em ergonomia, análise e adaptação das estações de trabalho e equipamentos através da AEP ou AET, exercícios de alongamento como Ginástica Laboral.


Além disso, a detecção precoce e o tratamento adequado são fundamentais para evitar a progressão das doenças e minimizar seus impactos na saúde e na qualidade de vida dos trabalhadores afetados.


Sobre a ElevaLife

Somos uma empresa parceira de RH’s e SST’s no cuidado ao colaborador e às exigências do trabalho.


Com um time de especialistas em saúde e bem-estar, fornecemos serviços de Gestão de Ergonomia, AET/AEP, Consultoria Ergonômica, Treinamentos de Ergonomia, Ginástica Laboral e Fisioterapia para companhias ao redor do Brasil!


Buscamos não só cumprir as exigências legais, mas também, principalmente, promover a adequação e melhoria contínua dos ambientes, processos e da consciência das pessoas para uma rotina de trabalho mais confortável, segura e eficiente.


Para entender como podemos te ajudar, entre em contato conosco e converse com um especialista!


Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page