top of page

O que é CIPA: Entenda o objetivo e como implementar essa comissão

A segurança e a saúde dos colaboradores são aspectos fundamentais no ambiente de trabalho. Para garantir um ambiente seguro e prevenir acidentes, surge a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, mais conhecida como CIPA.


Neste artigo, vamos abordar o que é CIPA e sua importância, além de te explicar como desenvolver e manter essa comissão de forma eficaz em sua empresa visando mais segurança no trabalho.

O que é CIPA

O que é CIPA?

A CIPA é uma comissão composta por representantes dos empregadores e dos empregados, cujo objetivo é a prevenção de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho.


A sigla significa Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, e ela é regulamentada pela Norma Regulamentadora 5 (NR-5) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).


A sua criação e manutenção são exigências legais estabelecidas pela legislação trabalhista brasileira, visando a proteção dos colaboradores no ambiente de trabalho.


A Importância da CIPA na Segurança do Trabalho

A CIPA desempenha um papel crucial na garantia da segurança dos trabalhadores. Ao promover a prevenção de acidentes, ela contribui para a redução do absenteísmo, melhoria da qualidade de vida dos colaboradores e aumento da produtividade.


Além disso, a existência da CIPA demonstra o comprometimento da empresa com a segurança e o bem-estar dos seus funcionários.


Abaixo, entenda as principais responsabilidades da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes de acordo com a Norma Regulamentadora 5 (NR-5) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE):


5.3.1 A CIPA tem por atribuição:

a) acompanhar o processo de identificação de perigos e avaliação de riscos bem como a adoção de medidas de prevenção implementadas pela organização;


b) registrar a percepção dos riscos dos trabalhadores, em conformidade com o subitem 1.5.3.3 da NR-01, por meio do mapa de risco ou outra técnica ou ferramenta apropriada à sua escolha, sem ordem de preferência, com assessoria do Serviço Especializado em Segurança e em Medicina do Trabalho - SESMT, onde houver;


c) verificar os ambientes e as condições de trabalho visando identificar situações que possam trazer riscos para a segurança e saúde dos trabalhadores;


d) elaborar e acompanhar plano de trabalho que possibilite a ação preventiva em segurança e saúde no trabalho;


e) participar no desenvolvimento e implementação de programas relacionados à segurança e saúde no trabalho;


f) acompanhar a análise dos acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, nos termos da NR-1 e propor, quando for o caso, medidas para a solução dos problemas identificados;


g) requisitar à organização as informações sobre questões relacionadas à segurança e saúde dos trabalhadores, incluindo as Comunicações de Acidente de Trabalho - CAT emitidas pela organização, resguardados o sigilo médico e as informações pessoais;


h) propor ao SESMT, quando houver, ou à organização, a análise das condições ou situações de trabalho nas quais considere haver risco grave e iminente à segurança e saúde dos trabalhadores e, se for o caso, a interrupção das atividades até a adoção das medidas corretivas e de controle; e


i) promover, anualmente, em conjunto com o SESMT, onde houver, a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho - SIPAT, conforme programação definida pela CIPA.

Técnico de segurança do trabalho conversando com trabalhador enquanto caminha em um ambiente industrial.

Entenda a função do Técnico de Segurança do Trabalho na CIPA

O técnico de segurança do trabalho desempenha uma função fundamental de identificar, analisar e controlar os riscos relacionados à segurança e à saúde no trabalho.


Na estrutura da CIPA, o técnico de segurança do trabalho desempenha algumas funções-chave:


1. Assessoria Técnica: O técnico de segurança do trabalho fornece orientação técnica à CIPA em relação aos aspectos de segurança, incluindo a identificação de perigos, avaliação de riscos e a implementação de medidas preventivas.


Sua experiência é valiosa para garantir que a CIPA tome decisões embasadas em dados e informações técnicas.


2. Treinamento e Capacitação: O técnico de segurança do trabalho desempenha um papel fundamental no treinamento dos membros da CIPA.


Isso inclui instruções sobre procedimentos seguros, normas regulamentadoras e as responsabilidades específicas de cada membro na comissão.


3. Apoio na Análise de Acidentes: Quando ocorrem acidentes ou incidentes de trabalho, o técnico de segurança do trabalho auxilia a CIPA na investigação e análise das causas.


Isso é essencial para evitar a reincidência e melhorar as práticas de segurança.


4. Desenvolvimento de Programas de Prevenção: O técnico de segurança do trabalho pode colaborar com a CIPA na criação e implementação de programas de prevenção de acidentes e promoção da saúde no trabalho.


Esses programas podem incluir a identificação de áreas de risco, a elaboração de planos de ação e a realização de campanhas de conscientização.


5. Atualização e Conformidade: O técnico de segurança do trabalho mantém a CIPA atualizada sobre as regulamentações e normas vigentes, garantindo que a comissão esteja em conformidade com as obrigações legais.


Como Elaborar e Manter uma CIPA Eficaz?

Além de compreender o que é CIPA, é essencial conhecer como estabelecer e operar essa comissão de forma eficaz para um ambiente de trabalho seguro e saudável.


Conheça as melhores práticas que envolvem a CIPA e seu papel na segurança no trabalho a seguir.


1. Formação da CIPA

A CIPA deve ser composta por representantes dos empregadores e dos empregados, em igualdade de membros.


Os representantes dos empregados são eleitos pelos próprios trabalhadores, e os representantes dos empregadores são indicados pela empresa.


A CIPA deve ser formada por um presidente e um vice-presidente, além de membros titulares e suplentes.


2. Treinamento

Os membros da CIPA devem passar por um treinamento inicial de noções básicas sobre segurança e saúde no trabalho, legislação e atribuições da comissão.


Esse treinamento é essencial para que possam desempenhar suas funções de forma eficaz.


3. Reuniões Periódicas

É fundamental realizar reuniões periódicas da CIPA para discutir questões de segurança, propor melhorias, analisar acidentes ocorridos e avaliar o cumprimento das medidas de prevenção.


Essas reuniões promovem o engajamento dos membros e a constante busca pela segurança no ambiente de trabalho.


4. Investigação de Acidentes

A CIPA deve investigar e analisar os acidentes que ocorrem no ambiente de trabalho, identificando suas causas e propondo medidas corretivas para evitar a reincidência.


Essa análise é crucial para aprimorar as práticas de segurança da empresa.


5. Campanhas e Atividades de Prevenção

A CIPA pode organizar campanhas de conscientização, treinamentos e atividades voltadas para a prevenção de acidentes e promoção da saúde no trabalho.


Essas iniciativas contribuem para a disseminação de uma cultura de segurança organizacional.


Conclusão

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA desempenha um papel central na promoção de um ambiente de trabalho seguro e saudável.


Sua correta implementação e manutenção garantem a proteção dos colaboradores, a redução de acidentes e o cumprimento das normativas legais.


Investir na CIPA é investir no bem-estar e na segurança dos profissionais, além de refletir no sucesso e na reputação da empresa.


Portanto, é essencial que as organizações entendam a importância da CIPA e se dediquem a mantê-la de forma eficaz.


Se você é um técnico de segurança do trabalho interessado em aprimorar seus conhecimentos sobre a CIPA, confira outros conteúdos relevantes no blog da ElevaLife!

Comentários

Avaliado com 0 de 5 estrelas.
Ainda sem avaliações

Adicione uma avaliação
bottom of page